sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Violão Giannini Híbrido 1976





Certo dia  eu estava  na casa de um amigo, quando reparei  em um canto jogado, um violão de caixa  acustica bem grande, e que  parecia ja ter certa  idade. Quando perguntei de quem era, esse amigo disse que o violão pertencia  a seu irmão mais velho, que por sua  vez teria herdado de seu pai.


Foi amor a primeira vista !!! 😍..  Eu logo peguei este senhor Giannini grosso de pó que estava, e reparei seu headstock quebrado, e o cavalete furado, com cordas de contrabaixo ( SIM, CORDAS DE CONTRABAIXO !!!!). Tentaram fazer um baixolão com o pobre Giannini...


O tampo estava um tanto empenado, o cavalete  não descolou eita  véinho duro na queda ... A escala parecia estar Ok, o braço  continuava reto mesmo sem tensor e com cordas de contra baixo !!!! 


Eita  véinho duro na queda ² .


Eu logo me propus a consertar o senhor Giannini, e  este  meu colega  acabou  autorizando.


Quando o levei para casa , resolvi pesquisar o modelo e o ano de fabricação. Se trata de um Giannini AWN de 1976.

Tampo em pinho ,  faixa e fundo em imbuia, escala em  ébano e braço em mogno com espelho  em imbuia.


Fui convencendo o meu amigo a me dar o violão de presente... Até que um dia o milagre aconteceu, e de tanto insistir eu acabei ganhando o violão.


A surpresa: eu fui consertando  ele  aos poucos, ao longo de  alguns  meses. Até  que um dia  ficou  em condições de se colocar as cordas  e sentir  o seu som...   Foi inacreditavel !!!  Um som muito encorpado com cordas de aço (originalmente esse violão usava náilon) , e  um timbre  incrível com graves matadores, médios  e agudos  na medida.. Foi a segunda vez que  me apaixonei por  este violão.


As  customizações:  começaram logo no inicio, por  ser um verdadeiro milagre o cavalete  continuar firme no tampo, eu decidi colocar um cordal, para  aliviar a tensão no ja judiado cavalete. Um dia me veio a  mão um captador muito estranho, para se colocar em violão, surgiu então a idéia de transforma- lo em violão elétrico.


O violão se torna "Guitarra semi-acustica":   O captador deu certo, e o violão ficou elétrico.. Porém não tinha volume e não tinha tom (era um captador tipo microfone). Então tive a ideia de customizar o captador que  eu tinha e colocar potênciometros e capacitores  para TOM, ficou incrivel.. Era um violão que  soava como uma guitarra semi-acustica.


Nasce o VIOLÃO HÍBRIDO:  Tinha ficado muito  bom ,o captador modificado especialmente para este violão. Ele funciona com uma bobina simples, porém como um "soap bar" antigo, e uma bobina um pouco menor, com polos individuais (invenção de Guilherme Marx , claro..  rsrsrsrs) É um captador  com um som unico no mundo !!! Feito na  garagem da minha  casa. Porém , eu sentia falta de outro captador para ter uma maior variedade de timbres neste violão- guitarra. Surgiu então a idéia  de agregar um captador single coil também modificado para  a posição do braço, e uma chave  de 3 posições. Com um timbre interessantíssimo, principalmente quando combinado cap. ponte+ cap. braço, o violão ficou como uma guitarra e  assim nasceu o  "hibrido" violão-guitarra. Quem o tocou, se apaixonou  pelo seu som, e como sempre ouço muito a frase "quer vender ?"  .  Até venderia, por um lance minimo de 25.000,00 R$ (brincadeira, não existe dinheiro no mundo que  possa pagar o preço desse hibrido violão-guitarra) JAMAIS !!!! , pois este é um violão unico no mundo, e  NÃO TEM PREÇO !








Assista ao vídeo desse violão, para ouvir o som dele:





















**** ATUALIZAÇÃO 17/08/2017****

Pessoal, eu tenho recebido inúmeros emails e mensagens no Facebook e Whatsapp a respeito deste meu violão então quero deixar algumas dicas por aqui. Primeiramente eu fiz esse violão em 2007, então ja fazem ai 10 anos que eu tenho ele. Na época eu não estava me importando muito se daria certo ou não essas modificações mas graças a Deus correu tudo certo, mesmo não manjando tanto de luthieria na época e o violão realmente ficou muito bom. 

Se tu quer fazer uma modificação neste nivel eu aconselho duas coisas; A primeira é se realmente vale a pena tal tipo de customização/modificação no instrumento, e a segunda é fazer do jeito certo para não acabar estragando seu instrumento.

Para fazer do jeito certo demanda muito trabalho e conhecimentos técnicos e específicos em luthieria, além de muita habilidade. Caso tu não tenha isso é melhor buscar ajuda de um luthier profissional para realizar seu projeto. E isso será de um gasto considerável visto que é um serviço difícil e irreversível. Por isso deve se avaliar se vale mesmo a pena investir seu dinheiro em uma customização dessas, pois não vai sair barato.

Mas se tu gosta de desafios e quer fazer por sua conta e risco siga essas dicas:

  • Primeiramente deve- se avaliar o tampo se não está condenado.

  • Reforçar o cavalete do violão para aguentar as cordas de aço.

  • Uso ou não de um cordal (se optar por não usar cordal, vai precisar bolar um esquema para o aterramento passar pelas cordas).

  • Retirar a escala e colocar um tensor no braço do violão (esse trabalho é o mais delicado e o mais importante no projeto, caso ignore o uso do tensor seu violão vai empenar o braço).

  • Trocar os trastes caso sejam de latão, pois as cordas de aço vão gastar o latão com muita facilidade.

  • Estar disposto e construir outra escala (sim, pois pode quebrar a escala na hora de descolar para colocar o tensor).

  • Estar disposto a jogar o violão no lixo ( Sim !!! Pois pode dar muito errado e já eras seu instrumento).

  • Não furar o tampo nem mexer nas palhetas internas de afinação - leque harmônico, o captador que desenvolvi nesse projeto fica sobre o tampo. Se mexer no tampo tipo fazer um buraco para colocar o captador vai estragar a acústica do seu violão, vai ficar um som choco e morto, bem sem graça. Vai ficar uma merda e já eras seu violão.

  • Trocar as tarraxas para segurar a afinação (use as de pino de aço).

  • Use somente cordas 09 para violão de aço ou 010 de guitarra, assim evita esforço abusivo no braço e na estrutura do violão caso este seja muito antigo.

  • Estar disposto a estragar o violão ( Sim !!! Ja avisei mas quero reforçar que pode dar errado caso tente fazer esse serviço sem ajuda de um profissional).

Dito isso que fique por sua conta e risco 😀
 





Se ainda não conhece, conheça a G-Marx Custom Guitars e acompanhe outros projetos loucos iguais a esse :


http://gmarxcustomguitars.blogspot.com.br/2016/05/apresentamos-o-nosso-blogsite-g-marx-cgs.html













2 comentários:

  1. ola dude, tenho um gianini awn20 q era do meu pai quando solteiro, n tenho certeza do ano dele, mas deve ser do final dos anos 60 e começo dos 70 (meu pai casou em 74) tenho uma grande paixão por esse violao, n saio de casa com ele, tenho muita vontade de transforma-lo num hibrido (essa vontade começou com aquele violao q kurt cobain toca no acustico mtv) mas tenho muito dó em furar o bixo. Parabens, ficou foda esse seu hibrido.

    ResponderExcluir
  2. Achei teu blog ao acaso e devo te parabenizar! É um dos - se não, o mais - bonitos que vi na vida!
    Sucesso.

    ResponderExcluir